Buscar
  • TM COM ASSESSORIA

Como abrir uma administradora de condomínios? Veja dicas


Abrir uma administradora de condomínios pode ser um negócio promissor mediante o atual cenário brasileiro. Isso porque os crescentes índices de desemprego aliados ao rápido processo de urbanização trouxeram a tendência do negócio próprio para muita gente. Especialmente para uma área que sempre terá demandas, como a administração de serviços de locais onde se vivem grandes números de famílias.


Conveniência, comodidade e bem-estar. Estas são as palavras-chave para gerenciar. Por outro lado, o que agrada a gregos, nem sempre agrada aos troianos. Assim sendo, a tarefa torna-se bastante complexa, porém gratificante do ponto de vista financeiro. Aliás, este é um ponto abordado em matéria anteriormente publicada em nosso blog, falando sobre a remuneração de um síndico. Além disso, uma boa administração valoriza o nome da empresa administradora, do condomínio, das empresas prestadoras de serviços e, porque não dizer, a vida de todos!


Seguindo portanto a tendência de crescimento do número de condomínios verticais e horizontais, a atividade de administrar condomínios virou um negócio rentável. Todavia, as exigências de profissionalização e melhorias na qualidade dos serviços prestados à comunidade são grandes. Neste cenário, o síndico necessita de um apoio terceirizado para dar conta da quantidade de problemas de ordem legal, contábil e fiscal. A dúvida é: como fazer isso? Confira abaixo o que faz uma empresa administradora de condomínios e siga as dicas para abrir uma.


Atividades pertinentes a uma empresa administradora de condomínios


De acordo com dados do Sebrae, a empresa poderá atender a condomínios residenciais, empresariais ou industriais. Entre as atividades de responsabilidade da administradora de condomínios estão:

- administração, contabilidade e assessoria jurídica;

- auditoria, consultoria financeira e administrativa, bem como consultoria tributária, fiscal, trabalhista e contábil;

- gestão de conflitos, participação em assembleias, atas, registros, entre outros eventos do gênero;

- elaboração de previsão orçamentária, cobranças de valores mensais dos condôminos, demonstrativos de receitas e despesas de cada unidade do condomínio;

- gestão de prestadores de serviços e funcionários, controle de vencimento de seguros e renovações de apólices;

- elaboração de relatórios de inadimplentes, representação do condomínio perante órgãos de administração pública e outras instituições;

- arquivo e atualização dos documentos do condomínio, entre outros serviços de acordo com as necessidades de cada cliente.


O que é primordial para abrir uma administradora de condomínios


Pesquisa de mercado

Este é o primeiro passo antes de qualquer negócio novo. A análise, que pode ser feita com base nos conhecimentos, caso você já tenha sido ou é um síndico, bem como nos problemas e fatores que fazem parte da rotina de qualquer condomínio.


Estudar condomínios da região que irá atuar

Estabelecer uma área geográfica de atuação e pesquisar características dos síndicos que irá atender, são atitudes diferenciadas. A demanda é crescente. Portanto, buscar nichos de regiões específicas pode ser interessante.


Ter parceiros ou conhecer profissionais nas seguintes áreas

ContábilFinanceiraJurídicaEngenharia


Ser aliado do síndico

Trabalhar em parceria com o síndico em atividades, a exemplo de elaborar orçamentos e contratar empresas de mão de obra para limpeza colocará você em destaque. É importante ressaltar que as empresas administradoras de condomínios não exercem a prestação de serviços.


Ter gestão da qualidade para melhorar concorrência

Minimizar custos e aumentar caixa é o objetivo de todo mundo. Quando se fala em administradora de condomínios, isso torna-se primordial. Portanto, capriche nos trabalhos para que o síndico indique os seus serviços para os colegas. Um trabalho de qualidade e resultados positivos é o que todos gostam e querem.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo