Buscar
  • secretaria7442

MOMENTO REFLEXÃO

Atualizado: 2 de dez. de 2021

por Flávio Macagnam


Hoje quero trazer a vocês algo que é de suma importância para qualquer cidadão de bem que necessita de uma evolução consciente e um aprimoramento mental, atributos necessários para uma inteligência emocional em crescente evolução.





Em algumas reflexões fico a pensar como seria se eu aguardasse os 7,8 bilhões de habitantes deste mundo, de tal forma que me satisfaça e promova a mim e em mim alegria e prazer, sem a necessidade de mover uma palha no processo de uma evolução pessoal. Seria algo impossível, frustrante e inalcançável.


Quando em set terapêutico me perguntam como faço para que tal pessoa aja diferente, geralmente devolvo com outra pergunta: “O que você pode fazer para que a sua forma de pensar mude com relação a este ou aquele?” Mesmo sabendo que o autoconhecimento é a resposta, permito que a pessoa se incomode, então algumas reflexões surgem. Talvez ela não encontre resposta, mas conforme o tempo avança essas reflexões se aprofundam e surge então o que chamamos de Insight e é neste instante que a história ganha outra roupagem.


Um texto escrito em 1905 no livro “A Ciência do Bom Viver” por Ellen G. White, ressalta a importância de conhecermos as leis que governam o corpo e a mente - “É dever de toda pessoa, por amor de si mesma, e por amor da humanidade, instruir-se quanto às leis da vida, e a elas prestar conscienciosa obediência. Todos precisam familiarizar-se com esse organismo, o mais maravilhoso de todos, que é o corpo humano. Devem compreender as funções dos vários órgãos, e a dependência de uns para com os outros quanto ao são funcionamento de todos. Cumpre-lhes estudar a influência da mente sobre o corpo, e deste sobre aquela, e as leis pelas quais são eles regidos.”


Compreender as questões do próprio eu, suas dificuldades, sofrimentos, dores, potencialidades e talentos, requer uma importância e atenção aprimorada sendo esta benéfica a nós e a sociedade a qual estamos inseridos. Este entendimento proporcionará uma saúde mental, biológica, social e espiritual de forma que as adversidades da vida sejam administradas de maneira eficaz e afete o menos possível a nossa saúde como um todo.


Me vem à mente os profissionais que lidam diretamente com pessoas a exemplo você síndico, administradores condominiais, dos quais enfrentam as adversidades dia a dia, lidando com pessoas dos mais diversos níveis intelectuais e culturais e de personalidades diversas. Agora pense comigo.


Cada condômino tem sua subjetividade uma forma única de viver, pode estar passando por dificuldades financeiras, stress no trabalho, relacionamento familiar defasado e desrespeitoso entre os mesmos. Não seria este um tempo de muito estresse e de certa forma até um tanto quanto justificável um nervosismo extremo, falta de amor e muita cobrança?


Neste aspecto seria um tanto quanto impossível mudar um condomínio inteiro, mas se aquele que o lidera e administra estiver com sua mente e corpo harmonicamente alinhados e saudável, saberá lidar com essas situações com maestria de forma que os próprios condôminos enxergando na liderança tamanha maturidade, segurança, assertividade, um ser consciencioso e tranquilo, com suas qualidades potencializadas e fortalecidas, sua mente arraigada em valores morais de primor, tenho certeza que refletirá naqueles que o observa.


Sempre falarei da importância da terapia sendo o canal de maior eficácia na obtenção do autoconhecimento. Conhecer-se a si mesmo é um dever de cada cidadão para que a sociedade viva em harmonia.


Segundo Ellen G. White, “Cumpre... exercer o domínio sobre si mesma. ... A mente vulgar, bem disciplinada, realizará trabalho maior e mais elevado que o espírito mais altamente instruído, e que os maiores talentos, sem o domínio próprio.” (PJ, p.335) (1900).


Apelo, para que busque terapia e potencialize seus feitos, aprimorando-se a cada dia. Minha luta particular é utilizar todos os recursos e aprimorá-los para aliviar o sofrimento de quem me procura. Em hipótese alguma permita-se acreditar que não há solução. Sim tem e muito.


Flávio Macagnam

Psicólogo Clínico/Esportivo

CRP 06/150108


8 visualizações0 comentário